Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sessão da Meia Noite

Comentários pessoais e (in)transmissíveis sobre cinema e televisão.

Sessão da Meia Noite

Comentários pessoais e (in)transmissíveis sobre cinema e televisão.

Rogue One - A Star Wars Story

Como não podia deixar de ser, o Sessão da Meia Noite consegui finalmente ir ao cinema para ver o mais recente episódio da história Star Wars.

 

rogue one poster.jpeg

Rogue One A Star Wars Story - Rogue One Uma História de Star Wars, 2016, de Gareth Edwards, com Felicity Jones, Diego Luna, Alan Turdyk, Donnie Yen, Wen Jiang, Ben Mendelsohn, Guy Henry, Forest Whitaker, Riz Ahmed, Mads Mikkelsen, Jimmi Smits, Spencer Wilding, James Earl Jones, Ingvild Deila, Anthony Daniels, Valene Kane, Jimmy Vee, Alistair Petrie, Genevieve O'Reilly.

 

Posicionando este filme entre os existentes, a ação de Rogue One decorre entre Star Wars III A Vingança dos Sith (2005) e Star Wars IV Uma Nova Esperança (1977), mais propriamente, dias antes do início de Star Wars IV.

 

rogue-one-uma-história-star-wars.jpg

 

A história conta-nos como a Aliança (rebelde) toma conhecimento da existência da Death Star, uma arma superpoderosa, de tal modo, que gera incredibilidade no Conselho da Aliança.

 

Conhecemos também o principal arquiteto desta arma de destruição massiva, assim como as suas motivações nesta tarefa hercúlea, motivações essas que se transformam no leitmotiv principal da nossa história.

 

Rogue-One-16.png

 

Com esta informação, um grupo  de rebeldes parte numa missão para obter os planos da Death Star e assim tentar igualar as hipóteses de vitória contra o Império.

 

rogue one team.jpg

 

Como peça do puzzle Star Wars, este filme cumpre o seu objetivo na totalidade. Não há quaisquer problemas de continuidade na história e encaixa perfeitamente nos filmes anteriores.

 

As ligações aos outros filmes resultam muito bem, apesar de uma grande aposta na manipulação digital das faces de dois dos intervenientes, que se tem verificado um pouco polémica.

 

O argumento pedia por um elenco alargado o que foi conseguido com atores de excelente qualidade ainda que possam não ser primeira linha. No entanto, este facto só conduz a uma valorização ainda maior do argumento.

 

saw gerrera.png

 

A aposta em atores menos conhecidos foi completamente ganha que, enriquecidos com alguns nomes consagrados como Forest Whitaker ou Jimmi Smits, permitiram que  o produto final fosse muito nivelado aos níveis das performances dos atores.

 

Como diria um personagem de uma outra saga de ficção científica "The needs of the many outweigh the needs of the few" - a necessidade de muitos sobrepõe-se à necessidade de poucos. Os conhecedores saberão de imediato de quem é esta afirmação.

 

Os favoritos da Sessão da Meia Noite são Felicity Jones como Jyn Erso e Donnie Yen como Chirrut Imwe.

 

Chirrut rogue one.jpg

 "I am one with the Force. The Force is with me"

 

O realizador soube perfeitamente como respeitar a herança sob a qual teve que trabalhar, criando mais um pedaço de história desta Saga com mestria, onde o mais importante não são as personagens em si, mas a continuidade cronológica com lógica e sentido.

 

Em suma, esta História da Guerras das Estrelas é um verdadeiro filme Star Wars, onde tudo se conjuga para a destruição da Death Star no filme de 1977.

 

rogueone-deathstar-dust-laser.jpg

 

Como nota final fica um momento comovedor no filme, a sua última cena onde aparece a Princesa Leia que, apesar de só ter uma linha de texto e numa aparição fugaz (e digital), relembra e homenageia a recente desaparecida Carrie Fisher.

 

É um excelente filme não só para os apreciadores da Guerra das Estrelas mas para todos os que gostam de bom cinema de ficção cientifica.

 

 

Como complemento à data, a equipa do Sessão da Meia Noite aproveita para deixar votos de um excelente 2017 a todos e ... aproveitem os todos bons filmes que puderem.

 

Até para o ano ...

 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.