Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Sessão da Meia Noite

Comentários pessoais e (in)transmissíveis sobre cinema e televisão.

Sessão da Meia Noite

Comentários pessoais e (in)transmissíveis sobre cinema e televisão.

Prémios Nico 2018

A Academia Portuguesa de Cinema anunciou a 9 de junho passado os vencedores dos Prémios Nico 2018.

 

premios-nico-2018 1.png

 

Os “novos talentos” distinguidos nesta segunda edição dos prémios foram o realizador Pedro Pinto, e os atores Pedro Pimentão e Oksana Tkach.

 

O realizador Pedro Pinto foi o responsável por um dos filmes mais falados de 2017 “A Fábrica do Nada” que foi selecionado para a Quinzena dos Realizadores do Festival De Cannes em 2017, onde recebeu o prémio da crítica, só antes conseguido por Manoel de Oliveira com “Viagem ao Princípio do Mundo” em 1997.

 

nico 2018 2.jpg

 

"A Fábrica do Nada" foi também premiado como melhor filme em Munique e em Barcelona e distinguido em festivais de Itália (Turim), Hungria, Brasil e Turquia (Istanbul), além de dois Prémios Sophia.

 

O primeiro filme de Pedro Pinto foi o documentário “Bab Sebta”, estreado no FIDMarseille em 2008, que venceu o premio Marseille Esperance. A sua primeira longa-metragem de ficção foi “Um Fim do Mundo” estreado em 2003.

 

premios-nico-2018 4.png

  

O ator José Pimentão é considerado pela critica especializada como “uma das maiores revelações cinematográficas do ano” no seu papel de coprotagonista no filme “Al Berto” de Vicente Alves do Ó (2017).

 

José Pimentão estudou na Act – Escola de Atores, com Beatriz Batardea, Nuno Pino Custódio e Vicente Alves do Ó, depois de ter concluído o curso de Gestão e Administração de Empresas.

 

Participou na série “Filha da Lei” da RTP, exibida em 2017, e nos filmes “Turn” de José Luís Lopes, “Lux” de Bernardo Lopes e Inês Malveiro e, claro “Al Berto”, onde recebeu a nomeação ao Prémio Sophia de melhor ator principal.

 

premios-nico-2018 3.png

 

A atriz Oksana Tkach foi indicada pelo seu trabalho no filme “O Fim da Inocência” de Joaquim Leitão, pela intensidade fisica e psicologica aplicada nas suas cenas.

 

Oksana Tkach tem origem ucraniana, mas vive em Portugal desde a sua infância, sendo considerada uma grande revelação do cinema Português.

 

nico 2018 5.jpg