Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sessão da Meia Noite

Comentários pessoais e (in)transmissíveis sobre cinema e televisão.

Sessão da Meia Noite

Comentários pessoais e (in)transmissíveis sobre cinema e televisão.

Jason Bourne

Contrariamente à sabedoria popular, nós acabamos sempre por voltar onde fomos felizes. Assim, o Sessão da Meia Noite decidiu voltar à saga do operacional da CIA com uma amnésia constante mas decrescente - Jason Bourne.

 

jason_bourne_poster.jpg

Jason Bourne, 2016, de Paul Greengrass, com Matt Damon, Tommy Lee Jones, Alicia Vikander, Vincent Cassel, Julia Stiles, Riz Ahmed, Ato Essandoh, Scott Shepherd, Bill Camp.

bourne_legacy_ver3.jpg

 

O retorno de Paul Greengrass à história de Jason Bourne, permitiu o retorno de Matt Damon (que sempre afirmou só voltar à saga com o mesmo realizador original), o que, por si só, já representa uma melhoria significativa sobre o filme anterior - O Legado de Bourne, 2012, de Tony Gilroy.

 

Desta vez, Jason Bourne - Matt Damon, está "underground", fora do circuito da forças de inteligência e, com a sua memória recuperada - "I remember everything", quando é contactado por Nicky - Julia Stiles, que, num hack à informação sobre black opps da CIA, obtêm informação sensível sobre Jason Bourne, e sobre as origens e motivações do seu ingresso na CIA.

 

Nicky diz-lhe "Remember everything doesn't mean you know everything".

 

jason bourne 2.jpg

 

Com a curiosidade despertada, Jason Bourne inicia uma nova cruzada para encontrar a informação recolhida por Nicky (guardada numa pen), verificar a veracidade da informação e as suas implicações para a sua memória.

 

Contudo, a jovem analista Heather Lee - Alicia Vikander, conseguiu detetar o hack e alertou os seus superiores, nomeadamente o Diretor Robert Dewey - Tommy Lee Jones, que, curiosamente, tinha sido responsável pelas black opps da CIA no período referente à informação recolhida.

 

jason bourne 3.jpg

 

A partir deste ponto temos um retorno à ação desenfreada a alta velocidade, característica da trilogia original, onde Jason Bourne tenta mostrar, mais uma vez, que continua a ser um excelente operacional, na sua tentativa de chegar aos responsáveis por mais um engano criado na sua realidade.

 

Ao mesmo tempo terá que lidar com um agente (Asset) que o Diretor Robert Dewey ativou para eliminar Jason Bourne. Este Asset, protagonizado por Vincet Cassel, acaba por ser um dos melhores neste filme, juntamente com Alicia Vikander e Tommy Lee Jones.

 

jason bourne 4.jpg

 

No Sessão da Meia Noite pensamos que o problema deste filme é não trazer nada de novo à Saga. Indiscutivelmente melhor que o filme de 2012, não supera, ou sequer iguala, a trilogia original, por falta de novidade e originalidade.

 

jason bourne 5.jpg

 

A ação é muito bem coreografada com cenas espetaculares na Grécia e em Las Vegas (onde se destruíram cerca de  170 carros) mas o argumento pauta por mais do mesmo, e nem mesmo as grandes prestações de Alicia Vikander, Tommy Lee Jones e Vincent Cassel, conseguem fazer com que o nível deste filme de ação supere o médio-bom.

 

jason bourne 6.jpg

 

No ponto em que a história ficou, este deverá ter sido o último sopro de vida de Jason Bourne no cinema, salvo algum rasgo de génio ou uma torrente de dinheiro chinês.

 

Em suma, trata-se de um bom filme de ação, com as personagens que nós já conhecemos, com muitas ligações ao passado, mas que não cumpriu todas as expectativas do Sessão da Meia Noite.

 

É um filme que ficará para os especialistas em ação, mas que certamente será descartado pelos restantes cinéfilos.

 

 

O nosso conselho é, como sempre, se tiverem interesse, não deixem que outros formem as vossas opiniões.

 

Vejam e decidam!

 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.