Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sessão da Meia Noite

Comentários pessoais e (in)transmissíveis sobre cinema e televisão.

Sessão da Meia Noite

Comentários pessoais e (in)transmissíveis sobre cinema e televisão.

Black Butterfly

Hoje, o Sessão da Meia Noite volta a um ator que nos é muito querido, e que tem andado muito desaparecido das passadeiras vermelhas. Antonio Banderas é o protagonista de um thriller psicológico, realizado por Brian Goodman, que estreou entre nos a 8 de junho.

 

Black Butterfly 1.jpg

Black Butterfly - Borboleta Negra, 2017, de Brian Goodman, com Antonio Banderas, Piper Perabo, Jonathan Rhys Meyers, Abel ferrara, Nathalie Rapti Gomez, Alexandra Klim, Katie McGovern.

 

O argumento do filme apresenta-nos como cenário uma pequena cidade de montanha que vive assolada por uma série de raptos e assassinatos. Um pouco fora da cidade vive Paul (Antonio Banderas), um escritor solitário, que espera retomar uma carreira outrora fulgurante, mas que, aos poucos, foi sucumbindo ao bloqueio de escrita.

 

Black Butterfly 2.jpg

 

Devido a uma altercação no restaurante local, Paul conhece Jack (Jonathan Rhys Meyers) um estranho que o salva de uma tareia. Movido por um sentimento de gratidão, e pelo facto de uma tempestade se aproximar, Paul oferece guarida a Jack na sua casa, pelo menos até que o mau tempo passe.

 

A borrasca passou, mas Jack foi ficando, fazendo pequenas reparações na casa, propositadamente encontrando argumentos para não se ir embora. Eventualmente, Paul tenta mandar Jack de volta ao seu caminho, mas Jack mostra um comportamento psicótico e muito agressivo , que torna Paul um refém na sua própria casa.

 

Black Butterfly 3.jpg

 

A relação de violência psicológica que se vai percebendo entre o dois protagonistas é o principal mecanismo do filme, que é apimentado com a introdução de Laura (Piper Perabo) - uma agente imobiliária, que é igualmente aprisionada por Jack na casa de Paul.

 

Jonhathan Rhys Meyers é um dos melhores atores que já vimos a fazer de psicopata, e António Banderas faz um escritor não violento muito convincente, num jogo de poucas personagens onde o suspense comanda os protagonistas.

 

O filme vai evoluindo numa toada mediana, típica da maioria dos filmes deste género, até ao clímax final que nos faz repensar a história toda e o seu significada, tal é a reviravolta.

 

 

No Sessão da Meia Noite gostámos muito deste filme que se revelou surpreendente.

 

Classificação SMN: 7/10.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.